Regressão de Memória

Terapia de Vidas Passadas

 

Jesus Cristo

perguntas e respostas

 

 

 

 

 

 

 

Indicações Históricas Extra-bíblicas da Vida  de Jesus Cristo

 

            Uma pergunta se fez repetidamente no passado: como é possível que, fora dos livros do Novo Testamento, não haja qualquer notícia contemporânea sobre este acontecimento [a vida de Jesus]? “A história universal não colheu na época nenhuma notícia sobre ele (Jesus de Nazaré)”, escreveu o Prof. Martin Noth em sua notável “História de Israel”: Por um breve momento o seu aparecimento comoveu os ânimos em Jerusalém, depois esse episódio foi relegado ao passado e a gente começou a ocupar-se de coisas aparentemente mais importantes. E contudo aquilo constituíra uma última e definitiva decisão na história de Israel. Só quando os adeptos de Jesus se apresentaram historicamente ao mundo, seu nome começou a ser mencionado.”

Nas “Antiguidades Judaicas”, obra escrita nos últimos decênios do primeiro século da nossa era, ao mencionar a primeira comunidade cristã de Jerusalém, Josefo fala de “Jesus, que foi chamado de Messias”. O historiador romano Tácito também menciona Jesus expressamente nos “Anais” (Anais XV, 44, escrito em 115-117 depois de cristo). Para explicar o nome “christiani”: “Cristo, de quem seu nome deriva, foi sentenciado à morte pelo procurador Pôncio Pilatos, no tempo do imperador Tibério.”  

 

Caminho Nobre

 

Entretanto, a menção mais importante que se conserva é a do romano Suetônio (65-135 D. C.), ao descrever um movimento messiânico durante o reinado de Cláudio, que foi imperador de Roma de 41 a 54. Diz Seutônio em sua biografia do imperador Cláudio: “Ele expulsou de Roma os Judeus que faziam grande alarido por causa de Chrestus”. O escritor Orósio refere que esta expulsão teve lugar no ano 9 do reinado de Cláudio – portanto no ano 49 depois de Cristo – provando que entre 15 e 20 anos depois da crucificação já existia uma comunidade cristã em Roma.

A estes testemunhos romanos vem juntar-se uma referência surpreendente dos Atos dos Apóstolos. Com efeito, quando Paulo seguiu de Atenas para Corinto, encontrou aqui “um judeu, chamado Áquila, natural de Ponto, que pouco antes tinha chegado da Itália, e Priscila, sua mulher (pelo motivo de Cláudio ter mandado sair de Roma todos os judeus)” (Ap.18-2).

Contudo, cumpre mencionar que são bastante problemáticos os escassos depoimentos extrabíblicos a respeito de Jesus. Embora haja nexo fonético entre as vogais gregas “e” (longo) e “i” (o chamado “etacismo”), e “Chrestos” (significando, mais ou menos, o “hábil”, “prestimoso”, “bom”) possa perfeitamente ser confundido com “Cristo” ( o “ungido”, tradução grega da palavra hebraica “messias”), em absoluto não se tem certeza de que os tumultos e agitações messiânicas em Roma, mencionada por Seutônio em sua biografia do imperador Cláudio, de fato estavam relacionadas com Jesus. Todavia, deve ser considerado como uma falsificação o supracitado trecho de Josefo, pois com seus matizes positivistas, concordantes, não combina a atitude básica, anti-messiânica, assumida por Joesefo; tampouco se coaduna com o teor dos textos em cujo meio se encontra e que falam de nacionalistas judeus, rebeldes, indivíduos condenáveis aos olhos de Josefo. Outrossim, a sua composição interna não é típica do modo de compor do próprio Josefo, mas antes se inserira no esquema da anunciação do evangelista Lucas. Por sua vez, o comentário de Tácito é pouco expressivo; contudo confirma a existência de Cristãos, que derivaram o seu nome do próprio Cristo – do Cristo executado durante o reinado do Imperador Tibério (14-37 D. C.), sob o procurador Pôncio Pilatos. Mas, fica aberta a questão se o próprio Tácito considerou esse evento como autêntico. O único fato concreto, a ser deduzido com segurança, é o da existência de uma comunidade cristã, em Roma, com tradições, em certos pontos concordantes com as descritas no Novo Testamento, nos tempos do Imperador Nero (54-68 D. C.), cuja perseguição aos cristãos motivou Tácito a escrever o comentário em apreço.

 

Do livro: E a Bíblia tinha razão ... , Werner Keller, Editora Melhoramentos, pag. 332 - 334 

 

   

Acrescente este site aos seus favoritos

e nos encontre sempre que desejar.

 

 

 

 

Índice perguntas

 

ConsultasCaminho Nobre / Jesus Cristo / Psicologia Racional / Campanha

Hipnose / Análise dos Sonhos  / Terapia de Vidas Passadas

Terapia de Regressão / Blog Nascer Várias Vezes

 

 

 

 

Compartilhe |

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Jornal Vida Natural
Receba gratuitamente no seu email